Miscelânea

Medo de quem entrega panfleto

Quem é acostumado a andar à pé sabe que o dia todo a gente encontra coisa esquisita no meio do caminho. Seja gente mal educada (aos montes), gente que quer estar sempre certa… e os entregadores de panfleto.

Aqui, amigos, eu englobo também aquelas pessoas que pedem pra falar com a gente “só um minutinho, vai ser bem rápido”. Gente, qual a utilidade? Vejam bem, respeito o trabalho de todos, afinal, como já dizia o poeta, o trabalho dignifica as pessoas. Só que esse povo, além de trabalhar entregando panfleto ou pedindo um minutinho da minha atenção, eu desconfio que o passatempo mais legal deles é o de me fazer quase morrer, todas as vezes.

Tomei a iniciativa de escrever sobre isso só hoje, mas faz um tempão que estou com isso na cabeça. Preciso escrever sobre essas minhas experiências de quase-morte. Hoje, como não foi diferente, estava voltando do almoço e estava com fones de ouvido. Atravessei a rua para ficar na calçada que fica o prédio onde eu trabalho e, de longe, já tinha visto uma moça uniformizada (o que pensei rapidamente que fosse uma roupa de quem trabalha em restaurante) encostada no muro, e eu estava andando em direção a ela.

Fui me aproximando mas já tinha deixado de reparar na moça, apesar de ter que passar por ela pra poder entrar no prédio. Quando cheguei a um passo dela, essa maluca estica o braço do nada com um folheto na mão. Imaginem vocês o pulo pra trás que eu dei e, quando olhei pra ela, ela estava com um sorrisão. Respirei fundo e disse um “obrigada”, talvez um pouco mais alto do que deveria MAS PORRA, MOÇA. Oferece o panfleto de longe, caraio. Quase morro.

E isso sempre acontece comigo. Às vezes fico até sem graça de tão abusados que são os entregadores de panfletos. Sempre que estou chegando pra trabalhar, tem um pessoal que entrega panfleto na estação do metrô. Como eu sei que nunca vou pegar, eu faço a gentileza de desviar de cada um deles pra que não fique uma situação chata nem pra mim, nem pra quem entrega. Temos que concordar que ficar oferecendo papel e o povo ficar ignorando deve ser uma merda. Então, como uma boa alma que sou, ando em uma linha reta pra bem longe deles. Mas sempre tem aqueles que VÃO ATÉ MIM COM A MÃO ESTICADA SEGURANDO UM PAPEL. Mas gente! Eles vão até você! Te obrigam a pegar, te perseguem! Que coisa chata! E ainda tenho que tomar cuidado pra não engolir um panfleto, porque tem alguns entregadores que enfiam na sua cara. ¬¬

Infelizmente não posso mudar de estação do metrô pra poder vir trabalhar, porque na hora de ir embora é outro campo de batalha. Antes de chegar na porta da estação tem uma faixa de pedestres, que sempre fica bastante gente às 17h esperando o sinal abrir pra poder passar. Nisso, aquelas almas abençoadas do Greenpeace (ou sei lá de onde eles são, de jalequinho azul), ficam mirando em qual pessoa eles vão saltar no pescoço pra conseguir falar. Quando o farol abre e atravessamos, eu sempre tento me esconder atrás de alguém, porque eles são selvagens. Gente, eu juro. Eles pegam pelo braço. Qualquer hora, quando você disser que não tem um minutinho, eles te esperam passar e vão te bater na cabeça com um taco de beisebol com vários pregos na ponta.

Que situação.

Amigo, se você quer trabalhar nisso, tudo bem. Se só conseguiu isso pra trabalhar, tudo bem também. Agora: uma coisa é você ficar em paz, outra é ser um puta chato do caralho. Vai se foder.


Antes de finalizar esse post, eu gostaria:
a) de me desculpar pelos palavrões excessivos, mas é exatamente o que eu penso quando encontro um entregador de panfleto ou alma boa do Greenpeace;
b) de dizer que não tenho nada contra quem tem esse trabalho, como eu disse, você pode trabalhar com qualquer coisa, só não seja um pé no saco;
c) de dizer (2) que talvez eu tenha esse medo desse povo porque fui assaltada no ano passado e ainda não me sinto confortável com o fato de alguém me abordar tão freneticamente como eles fazem. Respeitem.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s